terça-feira, 3 de agosto de 2010

Cada dia mais e melhor !

Foi às vésperas de completar o primeiro aninho que o meu filhote começou a dar os primeiros passos sozinho ! Falando assim, até parece que faz um tempão. Mas que nada ! Faz só uns vinte dias...  rsrsrsrsrs ! Para quem não lembra ou não leu o post, ficou registrado em 


Estávamos eu e o papá, num restaurante e ficamos imensamente felizes com aquela nova conquista do Diego... De lá para cá, a cada dia, o incentivávamos a voltar a caminhar sem apoios. Mas ele resistia. Ficava em pé sozinho, entretanto, acho que tinha medo de dar um passo. Abaixava-se e engatinhava.
Porém, no último fim de semana, foi diferente. Aproveitamos os muitos momentos em que ele está de pé e chamei-o com um sorriso e de braços estendidos. Ele gostou da brincadeira e veio logo "correndo" ao encontro da mamã.


Voltamos a repetir a brincadeira outras vezes. Dos braços da mamã, ele ia ao encontro do papá. E quando chegava, já estava eu a incentivá-lo a voltar para mim de novo. Lá andava o meu filhote de um lado para o outro todo contente;  aos gritos de excitação por estar a conseguir tamanho feito. É claro que tinha sempre uns braços por trás para apoiá-lo em caso de desequilíbrio. Afinal, toda a gente diz que se eles caem quando começam a andar, ficam com medo e passam mais tempo para voltar a caminhar sozinhos.

 

 Não é que ele pegou gosto pela coisa ?!?! Agora está dando mais passos sozinho, ou seja, está fazendo percursos mais longos...rsrsrsrsrsrs ! E quando está caminhando com a gente segurando-lhe a mão, já quer que a gente a solte para ele ganhar o mundo. Já pensou ? Nem os movimentos nem a coordenação motora ainda estão bem apurados, mas ele está progredindo bem. Ontem caminhou pelo corredor, sozinho, sem apoios, todo feliz da vida !!!


Agora cabe a mim e ao papá estimular cada dia mais o nosso filhote em mais essa etapa rumo à independência. Afinal, o andar abre caminhos para novas conquistas, fechando um ciclo do desenvolvimento psicomotor.
Apesar da nossa ansiedade, tivemos a calma e a paciência para que o Diego andasse no tempo dele. Afinal, as recomendações médicas é de não fazer comparações, nem querer que o nosso filho desenvolva-se no ritmo de outros.
Mas aqui fica a dica que li num artigo: caso a criança chegue aos 16 meses e ainda não esteja dando uns passinhos é hora de falar com o pediatra.

1 comentário:

Karol Nascimento disse...

Uma super conquista! Imagino sua felicidade!! Ah, essas suas histórias só me dão mais vontade de ter um tb. hehehhehe
Beijo