quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Melhor do que eu pensava

Já lá se vão 2 anos de convivência intensiva...
Desde que nasceu, eu e o Dieguinho praticamente NUNCA nos desgrudamos.
Estamos sempre juntinhos.
Ele não vai para a creche.
E nunca o deixei com amigos, familiares, ninguém !
Ou quase ninguém: a única vez que o deixei para dar uma escapadinha com o papá foi quando fomos ao Brasil e ele ficou 2 horas com a minha mãe e só !
Para onde eu vou, ele vai junto.
Até para o banheiro, ele me acompanha.
Por isso, sempre escuto: "ahhh, quando ele tiver que ir para a escolinha, vai sofrer muito, pois está todo o tempo com você".
No fundo, também sempre tive essa preocupação.
Vez ou outra penso que a adaptação a escolinha poderá ser complicada não só para ele, como para mim também, pois vou "perder" meu companheiro de todas as horas.
Mas por outro lado, também penso que a ele não custará muito.
O Di é um menino super sociável.
Adora estar com outras crianças... esquece do resto ao redor, nem de comer, lembra-se !

Pois bem...
Eis que, ontem, combinei com uma colega para almoçar.
Ela é dona de um espaço que recebe crianças nos tempos livres e também faz festinhas.
Como aqui, estamos no auge das férias, o local está cheio de meninos e meninas que passam lá o dia inteiro em regime de colônia de férias.
 O Di adora ir para lá, pois há os brinquedos, a discoteca, espaço para correr a vontade e, claro, outras crianças para brincar com ele.
Mal chegamos a porta, ele quer logo tirar os sapatos e correr para se misturar aos outros.
Ontem, até fez uma gracinha: olhou para mim, sorriu e deu até tchauzinho. Pode ?
Deixei-o brincar enquanto esperava minha colega se desocupar.
Mas quem disse que consegui tirá-lo de lá para ir almoçar conosco ?
Eu falava com ele, chamava, dizia que ia embora e ele nem olhava na minha cara.
E eu pensei: "quer saber ??? vamos fazer um teste..."
Deixei-o lá, dei um lanche para as monitoras (caso ele quisesse comer) e fui almoçar sozinha com a minha colega.
Pensei que ia ouvir o telefone tocar e alguém me chamar lá correndo pois ele estava chorando, sentindo a minha falta, mas que nada !
Fui, conversei, comi sossegada com uma colega (como não fazia há anos !), voltei e quando cheguei, lá estava meu filho literalmente curtindo na discoteca.
Quem disse que ganhei um abraço quando ele me viu ?
Esboçou um choro e fugiu já imaginando que era hora de ir embora.
Eu aguento ?


Gente, não vou nem mentir... aquela hora e meia que passamos "separados" foi tão boa para o meu filho quanto para mim.
Para ele, pois se divertiu imenso, esteve em companhia de outras crianças, estava tão feliz que nem queria ir embora.
Para mim, foi muito bom voltar a comer tranquila, com uma boa companhia, conversar, trocar idéias...
 Uma pausa para a Débora-mãe... um suspiro para a Débora-mulher.
Foi ótimo !

Deixei meu filho aos cuidados de "estranhos", pela primeira vez.
Fiz isso, sem culpas, sem medos, sem sofrimentos, nem para mim, nem para ele.
Fiquei muito feliz por nós dois, pois fomos felizes "separados".
Quem sabe dia desses não repetimos essa "façanha" ?
Pode ser um bom começo para que, no próximo ano, quando ele tiver que ir para a escolinha, a mudança não seja tão brusca para nós.

É isso, gente !
Essa mãe de coração leve, aliviado e feliz fica por aqui desejando a todos um excelente dia ! 

7 comentários:

Tuka Siqueira disse...

Querida! Que bom que foi assim! Se o Di fica tanto tempo só com você, é natural que goste tanto de estar com outras crianças. às vezes eles sentem um certo receio em se desgrudar da gente, mas é momentâneo. A adaptação à escolinha serve para isso, para perder esse medo da separação. Mas pelo visto vai ser tranquilo quando chegar a hora!

Beijos

Sandra disse...

É uma boa ideia aos bocadinhos fazeres essa adaptação tanto para ti como para o Di porque quando ele for para a escolinha o sofrimento não vai ser tanto.
Bjs.

Tatiana disse...

Nossa...você é muito sortuda Debora, comigo era o oposto, dificílimo deixa-lo em qualquer lugar, chorava, berrava, so melhorou depois que o irmao nasceu, aos 4 anos.
Aii...sofri...rs,queria malhar, dar uma fofocada com as amigas...ui...nao dava nao, so ficava tranquilo com o pai!
Minha querida, super obrigada pela força la no Blog da Emiliana!!!
Bjks!

Tatiana disse...

Quem será o numero 100?
Wooohooo!!!!!!!!

Camila disse...

Oi Debora.
Que delícia ganhar uns minutinhos de folga, não é?
Trabalho em uma creche e andei postando uma fotos de algumas atividade das quais Marina participa.
Ela frequenta a escola desde os 5 meses e meio, ano passado quis ficar em sala separada, este ano não tive escolha e estamos na mesma sala. No início achei que isso atrapalharia meu trabalho e também a cabecinha dela, mas o contrário do que pensei aconteceu.
Mesmo com a minha presença é uma criança independente e adora brincar com os demais coleguinhas.
Às vezes eles nos surpreende.
Quando chegar o momento certo será quando estiver segura. Como estes poucos instantes, por exemplo.
Boa sorte linda para os dois e sucesso para as tentativas.
Já pensou em meio período?
Brinca é saudável, pense nisso!

Um beijo carinhoso e que vocês possam disfrutar mais vezes de momentos como esse.

SuperPai disse...

Já pensava na bronca que te daria em jamais ter deixado o pobrezinho só com outro alguém quando te emendaste, enfim, rs! Minha Isabela, de vez em quando, fica com uma das avós, quando não temos ninguém pra ficar com ela e isso é bom para soltá-la e a aproximar mais dos familiares! Faça isso sempre que puder!

Ah, e parabéns para o Di: 2 anos, hein? Só um pouquinho mais velho que a minha princesa!

Um abração!

Ivana - coisademae disse...

Mais esses momentos sem os filhos são muito bons também!!! Como vc disse, é bom para os dois!! Dá autonomia, segurança e fortalece o vínculo, ao contrário do que possa parecer (falando assim até parece que não sou neurótica e nem morro de saudades quando deixo os filhos em casa e saio sozinha...rs). Aproveite sempre esses momentos, são tão raros!

Bjos e um ótimo final de semana pra você!!