quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Por que os homens não têm paciência ?

Se há uma coisa que adoro é ver meu filho brincando e se divertindo.
Como toda criança da idade dele, o Dieguinho tem muita energia.
Trancá-lo em 90 metros quadrados o dia inteiro e impedir que ele suba nos móveis, no sofá e na cama ou deixe tudo fora do lugar é praticamente impossível.
Por isso, estou sempre procurando um tempinho para levá-lo a locais onde ele possa se esbaldar.
Na primavera ou verão, vamos aos parquinhos ao ar livre.
Agora que estamos num frio de rachar, fazemos visitas constantes às zonas de lazer dos shoppings.
Ele adora ! 
Mas afinal, qual criança não gosta, né ?
E eu sou capaz de estar horas ali vendo o meu pequeno ser feliz...

 
Mas por que será que o papá não é assim ???
No último sábado, fomos ao shopping comprar umas coisinhas para minha sobrinha que vai nascer. (assunto de um próximo post..)
Estávamos com pressa, então, entrei na loja, peguei rápido o que queria para irmos embora.
Mas assim que viu o parquinho, o Di foi logo esticando-se todo em direção a ele.
Claro que não resisti ao ver os olhos e bracinhos pidões do meu filho.
Mesmo sob protestos do papá de que íamos nos atrasar para um jantar combinado, convenci-o de que não iria acontecer se perdéssemos 5 minutinhos ali.
É claro que 5 minutos para uma criança num parquinho parecem 5 segundos...
Mas tudo bem, né?
Fomos lá, ele ajudou o Di a ir no escorrega uma vez, foi a um e outro lado e ouço um "vamos embora".
Óbvio que o menino abriu o berreiro !
Argumentei que não podia ser daquela maneira e fui eu mesma brincar com o menino.
No final, o papá acabou por reconhecer que não tinha paciência para essas coisas...


Não estou reclamando do meu marido.
Depois de três anos de casada, aprendi a admirar ainda mais suas qualidades e respeitar suas limitações.
Ele é um ótimo pai: super presente, atencioso, faz questão de dar o melhor ao nosso filho e brinca muito com ele quando chega do trabalho.
Mas como ninguém é perfeito, falta-lhe paciência para estar num parquinho ou para outras atividades do dia-a-dia, como dar a comida ao Dieguinho.
Sei que ele se preocupa e se concentra muito no trabalho, por isso, na maioria das vezes, relevo essas situações.
Aliás, quando o assunto é paciência, ele já melhorou muito.
Mas puxo-lhe um bocado a orelha quando acho que devo.
Também sei que toda regra tem exceção:
 Há homens e maridos bem tranquilinhos, que têm muita calma, que sabem esperar, mas em geral, meu povo, acho que paciência não é lá muito coisa de homem...rsrsrsrs !
O que vocês acham ?
Sendo assim, aproveitemos, então, todo o resto que eles têm de melhor ! rsrsrsrsrs
Bom dia !
(ahhh, não chegamos atrasados ao jantar !)

9 comentários:

Mummy Brown disse...

Oi Debora aqui em casa eu sou a que tem menos paciência, a mais impulssiva e ranheta. Vamos ver se vai mudar na chegada da Yasmin. Realmente com criança precisa de paciência dobrada né? Mas legal que seu marido reconheceu que precisa de mais paciência! Bjos a vc e no lindo do Di!

Simone Scharamm disse...

Oi, Débora,
Não sei se é falta de paciência...meu marido é até mais paciente com as filhas do que eu...mas ele não acha importante levar a pequena para dar um passeio ao ar livre, por exemplo. Ela só vai, se eu tiver disponibilidade,rs...ele acha normal, que ela fique em casa um domingo inteirinho, mesmo morando pertinho da praia. Dá pra entender? detalhe: se eu for com ela, ele me acompanha,rs!
Ah, respondendo ao seu comentário: Não temos parentes árabes, não. A Vanessa parece ter vindo lá das bandas da Índia,rs...mas não sei o motivo,rsrs!Ela diz que ainda vai visitar o país...mas eu não tenho a mínima vontade,rs!
Beijos!

Vanessa e Enzo disse...

Bom dia Débora.
Eu tb curto ficar hooooooras brincando com o pequeno.
Mas os homens em geral... falta paciência.
Então quem tem que ter de sobra é a gente (com eles). rs
Estou passando aqui para avisar que essa semana é o teu texto que vai ao ar na Participação é Sua. =)
Bjks

Geovana Centeno disse...

oi Debora é alguns não tem muita paciencia mesmo, ate que não posso se queixar do meu marido, levava o caio na pracinha todos os dias depois do trabalho e ate hoje ele faz isso, eu que não tenho muito hehehe...obrigada pelo carinho, beijos nos dois!

Diários do Papai disse...

Como representante da classe masculina devo discordar completamente do seu título: como assim "homens não têm paciência"?! Pois eu dou comidinha, boto pra dormir, troco fralda e espero todo o tempo do mundo o que minha filhota tem que fazer pra se satisfazer (agora sua moda é ficar me pé...)! Muitas vezes vejo mamães correndo pra botar o bebê pra dormir só pra ver se tem um sossego - e nem preciso dizer que o guri abre o berreiro, porque não tá afim nem um pouquinho...

Enfim, paciência com o maridão e com nossa "classe macha": podemos surpreender, viu? Rs. Abração e apareça nos Diários do Papai!

Tuka Siqueira disse...

Meu marido é o pai e a mãe da paciência. Calma é o seu nome e tranquilidade seu sobrenome. Tanto que até me irrita. Mas essa calmaria toda desaparece como que por encanto se ele estiver com algum problema no trabalho que não consegue resolver e como ele trabalha em casa, já viu né?

Abraços

Sandra disse...

O meu marido é ao contrário tem muita paciencia com as crianças. Não temos filhos mas vejo quando brinca com a nossa afilhada os dois parecem maluquinhos, gritam, pulam, correm até cairem para o lado.
Como se costuma dizer todos diferentes e todos iguais.
Bjs.

Cida Kuntze - compartilhandobencao.blogspot.com disse...

Oi Déby!
O que dizer???? rsrsrs.
Acho que as pessoas em geral tem paciência pra certas coisas e pra outras não.
Talvez numa outra situação o teu esposo tivesse mais paciência, mas como tinham um compromisso marcado ele não queria se atrazar.

Olha, o meu esposo é super pontual e algo que o deixa chateado é as pessoas atrazerem algo que marcaram com ele, pois no horário ele está lá.

Nós temos um conhecido, um amor, mas por causa dele ter "muita paciência", ele se atraza horrores aos compromissos e isso nem é culpa dos filhos, ou da esposa, mas é porque ele se enrola no trabalho e chega em casa tarde, daí até se arrumar, com toda calma, etc...a família já perdeu a vontade de sair...kkkk.

Cada caso um causo...kkk.
Beijinhos...gostei do post!

Anónimo disse...

Sou pai, como trabalho em casa fico bastante tempo com meu filho. Faço quase tudo: troco fraldas, dou banho, brinco, passeio, só (obviamente) não dou de mamá no peito. rsrsrsrs. Contudo, até a mais paciente das pessoas uma hora ou outra perde a paciência com criança. Ou será que vc nunca perdeu? Ou, as mulheres dos comentários acima nunca perderam? Se disserem que não estarão mentindo. Geralmente, nós homens tempos menos paciência para quase tudo nessa vida. Mas, já conheci mulheres menos pacientes que mtos. homens. Qdo. meu filho nasceu, um amigo me deu o conselho: "olha, quando o bb chorar passe logo a bola pra sua mulher... mulher geralmente é mais paciente." Claro, nunca segui o conselho, mas tbém sempre me coloquei no meu lugar: de que sou pai e não mãe, e, certas coisas só a mãe pode suprir e deve fazer. Bom, agora voltando ao seu caso: na situação que vc descreveu seu marido está certissímo. Se há um compromisso, esse não deve ser adiado por um capricho da criança. Desde cedo, a criança deve entender que há momentos de diversão e outros de obrigação. Como diz o psicoterapeuta Içami Tiba: os pais de hoje devem entender que o centro da família não é a criança, mas eles. Ou seja, não somos satélites que devem orbitar ao redor das vontades das crianças, mas somos o núcleo, aqueles que dão sustentação à vida, sobrevivência e ao futuro dos pequenos. Daí, por não pensarem assim, muitos pais acabam criando verdadeiros reis dentro de casa, e não, verdadeiros filhos. Pense nisso! Essa é a minha opinião! Não é necessário concordar com ela, mas, somente, respeitar.