segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Segunda mãe...

Gente, quem já viveu ou vive fora do Brasil, sabe que nem sempre é fácil fazer novos amigos... pelo menos, pessoas que não sejam brasileiras. Americanos...europeus... são muito mais fechados que nós e custa até ganhar confiança e entrar para círculos de amizade.
Depois de três anos morando em terras lusitanas, ganhei uma grata surpresa. Eu e o papá do Diego fomos convidados para sermos padrinhos de um menino lindo que também tem um aninho, como o meu filhote. Ficamos bem contentes, afinal, um convite assim não se faz a qualquer pessoa. É sinal de reconhecimento e muita consideração. O engraçado é que agora somos padrinhos de um dos filhos dos padrinhos do Diego. Hein ? Vamos explicar melhor essa história...
O papá do Diego e o amigo que vou chamar de A. (por questões de privacidade) eram colegas desde a universidade. E depois que nós casamos, os laços de amizade foram se estreitando, por afinidade, por passarmos a fazer os mesmos programas, enfim... e quis o destino que eu e a a esposa de A. ficássemos grávidas na mesma altura. Nada combinado ! Foi uma imensa coincidência ! Tanta que nossos bebês nasceram apenas com uma semana de diferença. O deles numa sexta, o nosso, na sexta seguinte.
Estarmos grávida em simultâneo também nos aproximou mais ainda. De repente, foi surgindo um belo laço de amizade... tanto que nos levou a chamar A. e esposa para serem os padrinhos do Diego.
Em retribuição e consideração, o convite nos foi retribuído e também fomos chamados para sermos os padrinhos do filhinho deles.


O batizado foi ontem. Uma cerimônia bonita e aconchegante. Interessante é que os nossos compadres batizaram os dois filhos ao mesmo tempo. Além do meu afilhado, eles também têm uma menina linda de 3 anos. 
  D. é o meu segundo afilhado. Também já sou madrinha de uma menina, que hoje tem 8 anos. Mas dessa vez, passei a entender melhor o que é ser madrinha. Da primeira  vez, era nova e não tinha a consciência da responsabilidade que me estava a ser entregue. Agora, além de ter mais maturidade, também sou mãe; e isso muda muito o nosso modo de ver a vida.
Com certeza, hoje valorizo bem mais o "ser madrinha". Muito além da figura boazinha que dá presentes, o importante é estar presente, acompanhar e ajudar no crescimento do afilhado. A palavra AFILHADO deriva do significado de afiliar, TOMAR COMO FILHO, isto é, o afilhado é como se fosse um filho. Sendo assim, também não poderei falhar como uma segunda mãe...

2 comentários:

Gabriela Câmara disse...

Que legal Débora!!! É uma questão que ainda não resolvi, porque sei que algo sério e eu sou a mais velha da familia e não tem ninguém que eu possa mostrar que tem maturidade para isso. Ai ainda tô pensando quem vao ser os padrinho da Sofia.

Obrigada pelos elogios no meu blog, vc é muito fofa!

Sobre o artesanato, aqui o mercado é muuuuuito saturado, pq é uma cidade que vive de artesanato. Mas vou tentar, afinal de contas não custa nada! :) Obrigada pela dica!

Beijossss

Vanessa e Enzo disse...

Parabéns pelo convite! E que bom que hj enxerga o ser madrinha com mais maturidade - a vida é mesmo uma jornada de aperfeiçoamento.
Bjks p vc, o filhote e o afilhado