terça-feira, 31 de Agosto de 2010

Feche a boca e abra os braços...

Olá pessoal ! Quero começar a semana aqui no blog, compartilhando convosco uma pequena lição de sabedoria para pais e mães. O texto que se segue me foi enviado pela minha cunhada. São palavras importantes para quem tem a missão de criar/educar um filho, mas que podem ser aplicadas em muitas outras situações da nossa vida.
Boa leitura !

***

A importância de fechar a boca e abrir os braços

Uma amiga ligou com notícias perturbadoras: a filha solteira estava grávida.
Relatou a cena terrível ocorrida no momento em que a filha finalmente contou a ela e ao marido sobre a gravidez.
Houve acusações e recriminações, variações sobre o tema "Como pôde fazer isso conosco?" Meu coração doeu por todos: pelos pais que se sentiam traídos e pela filha que se envolveu numa situação complicada como aquela.
Será que eu poderia ajudar, servir de ponte entre as duas partes?
Fiquei tão arrasada com a situação que fiz o que faço – com alguma frequência – quando não consigo pensar com clareza: liguei para minha mãe. Ela me lembrou de algo que sempre a ouvi dizer. Imediatamente, escrevi um bilhete para minha amiga, compartilhando o conselho de minha mãe:
"Quando uma criança (ou um filho) está em apuros, feche a boca e abra os braços."

Tentei seguir o mesmo conselho na criação de meus filhos. Tendo tido cinco em seis anos, é claro que nem sempre conseguia. Tenho uma boca enorme e uma paciência minúscula.
Lembro-me de quando Kim, a mais velha, estava com quatro anos e derrubou o abajur de seu quarto.
Depois de me certificar de que não estava machucada, me lancei numa invectiva sobre aquele abajur ser uma antiguidade, sobre estar em nossa família há três gerações, sobre ela precisar ter mais cuidado e como foi que aquilo tinha acontecido – e só então percebi o pavor estampado em seu rosto. Os olhos estavam arregalados, o lábio tremia.
Então me lembrei das palavras de minha mãe. Parei no meio da frase e abri os braços.


Kim correu para eles dizendo: – Desculpa... Desculpa – repetia, entre soluços. Nos sentamos em sua cama, abraçadas, nos embalando. Eu me sentia péssima por tê-la assustado e por fazê-la crer, até mesmo por um segundo, que aquele abajur era mais valioso para mim do que ela.
– Eu também sinto muito, Kim – disse quando ela se acalmou o bastante para conseguir me ouvir. Gente é mais importante do que abajures.
Ainda bem que você não se cortou.
Felizmente, ela me perdoou.
O incidente do abajur não deixou marcas perenes. Mas o episódio me ensinou que é melhor segurar a língua do que tentar voltar atrás após um momento de fúria, medo, desapontamento ou frustração.


Quando meus filhos eram adolescentes – todos os cinco ao mesmo tempo – me deram inúmeros outros motivos para colocar a sabedoria de minha mãe em prática: problemas com amigos, o desejo de ser popular, não ter par para ir ao baile da escola, multas de trânsito, experimentos de ciência malsucedidos e ficar em recuperação.
Confesso, sem pudores, que seguir o conselho de minha mãe não era a primeira coisa que me passava pela mente quando um professor ou diretor telefonava da escola. Depois de ir buscar o infrator da vez, a conversa do carro era, por vezes, ruidosa e unilateral.
Entretanto, nas ocasiões em que me lembrava da técnica de mamãe, eu não precisava voltar atrás no meu mordaz sarcasmo, me desculpar por suposições errôneas ou suspender castigos muito pouco razoáveis.
É impressionante como a gente acaba sabendo muito mais da história e da motivação atrás dela, quando está abraçando uma criança, mesmo uma criança num corpo adulto.


Quando eu segurava a língua, acabava ouvindo meus filhos falarem de seus medos, de sua raiva, de culpas e arrependimentos. Não ficavam na defensiva porque eu não os estava acusando de coisa alguma. Podiam admitir que estavam errados sabendo que eram amados, contudo. Dava para trabalharmos com "o que você acha que devemos fazer agora", em vez de ficarmos presos a "como foi que a gente veio parar aqui?"


Meus filhos hoje estão crescidos, a maioria já constituiu a própria família.
Um deles veio me ver há alguns meses e disse "Mãe, cometi uma idiotice..."
Depois de um abraço, nos sentamos à mesa da cozinha.
Escutei e me limitei a assentir com a cabeça durante quase uma hora enquanto aquela criança maravilhosa passava o seu problema por uma peneira.
Quando nos levantamos, recebi um abraço de urso que quase esmagou os meus pulmões.
– Obrigado, mãe. Sabia que você me ajudaria a resolver isto.
É incrível como pareço inteligente quando fecho a boca e abro os braços

sexta-feira, 27 de Agosto de 2010

Garoto esperto...

Gente, a cada dia surpreendo-me mais com o meu pimpolho. Ele está evoluindo depressa e absorvendo informações de uma maneira rápida. É impressionante perceber que aquele bebezinho que só interagia com expressões faciais, aprendeu muito nos últimos meses.
Sou mãe babada, coruja, não nego ! Por isso, fico encantada com os avanços do meu pequeno e gostava de dividir mais essa pontinha de felicidade com vocês...


No abrir e fechar de portas e gavetas, o Diego está mestre.
Ele já sabe que pente e escova é para pentear cabelo. Se pega um nas mãos, leva logo à cabeça: à dele ou à minha. Dia desses, tentou fazer-me um penteado e tudo, o meu bebê...rsrsrsrs..
Também já aprendeu para que serve o controle remoto. Quando pega um, aponta logo para a TV e aperta nos botões.
E se falo: -"filho, vamos ver o Panda!" ou "Vamos ver o Mickey!". Ele também aponta logo para a televisão. Sabe que é lá onde vão aparecer seus desenhos favoritos.


Se digo para ele ligar o ventinho, ele sabe bem o que é. Vai direto ao ventilador e aperta no botão para fazê-lo funcionar.
Se a ordem é ir buscar a bola, ele também entende direitinho e sai todo contente em busca de uma das muitas que temos aqui em casa.
Ahhh, já consegue subir e descer da nossa cama.
Aprendeu a usar o apito e sabe beber de canudinho(=palhinha).


Quando quer algo, meu filhote não se intimida. Aponta com o dedinho e pede.
Os hábitos do papá, o Diego também decorou bem. Quando o vê aprontar-se, já sabe que ele vai embora. Começa logo a acenar-lhe e dar "tchau". E quando digo: "-filho, quem vai chegar ?" Ele olha de imediato em direção à porta de entrada pois sabe que o pai logo, logo vai aparecer.
O meu pimpolho entende também quando digo: "Anda cá, filho. Vamos vestir a roupa para darmos um passeio". Ele fica quietinho e todo contente. Até ajudar a colocar o boné na cabeça. Sabe que vamos sair à rua e ele adora. Corre logo para a porta para sair de casa.



Ahhh, e um gesto dele adorei em especial: no dia que ele me deu uvas na boca. Acreditem ! Ia tirando uma a uma do cacho e ia me dando. Achei o máximo. Fiquei toda contente e babada !!!
Gente, tenho ou não motivos para me orgulhar do meu pimpolho ?
Um ótimo fim de semana a todos !

quinta-feira, 26 de Agosto de 2010

Tudo bem no nosso pequeno reino...

Hoje fomos ao médico. Mas nada de doenças, graças a Deus !!! Foi a consulta de rotina do Dieguinho com o médico de família. Na verdade, essa consulta era para ter sido quando ele completou um ano, há um mês. Mas na altura estávamos de férias e só havia sido remarcada para hoje...


A primeira etapa foi com a enfermeira: tirar as medidas.
Peso: pouco mais de 10kg
Altura: 77,5cm
Perímetro encefálico: 48cm
Tudo bem... e normal para os 13 meses de idade do meu pimpolho. O peso não aumentou muito desde a última vez que estivemos lá, há 4 meses: cerca de um quilo. Mas o que surpreendeu foi o crescimento: uma média de 1 cm por mês. O médico disse que se ele continuar nesse ritmo vai passar de 1,80cm na fase adulta. Vai ficar um rapagão, o meu bebê....


Pelos números, o médico disse ainda que ele estava evoluindo bem e não me preocupasse tanto com a pouca mudança de peso. Mas não podia descuidar da alimentação: liberou para ele comer de tudo, só fez uma reserva aos doces... para não abusar...


Engraçado foi na hora das perguntas comportamentais...
- Ele já aponta com o dedo para pedir as coisas ? - sim !
- Já atende pelo nome ? - sim !
- Já anda de gatas ? - Já anda !
- Já começou com as birras ? - Sim, e de que maneira !!!
Para isso, o "remedinho" do doutor foi simples: ignore a birra ou distraia a atenção dele para outra coisa. Evitar bater, também é aconselhável.

Voltamos para casa satisfeitos e com uma grande satisfação no coração. Graças a Deus, temos um menino lindo, saudável, que está se desenvolvendo bem e que nos enche de alegria !

quarta-feira, 25 de Agosto de 2010

"A crise de um ano de idade"...

Gente, achei esse título ótimo ! Não é meu, mas de um pediatra que escreveu um artigo sobre o tema e já, já compartilho com vcs... Achei-o pesquisando para entender certos comportamentos que o meu filhote tem apresentado ultimamente...
Como boa mãe de primeira viagem, qualquer mínima coisa que saia fora do "normal" acende um sinal de alerta. Se o menino tem pouca apetite, será que precisa de vitaminas ? Se está dormindo demais, estará doente ? Se ainda não fala mamã, é por que não consegue reproduzir esse som ? Enfim, tudo pode virar uma pontinha de preocupação... 


Mas o que me motivou a dar uma vasculhada pela net foi uma certa agressividade que o Diego tem apresentado. Ele anda numa de bater e morder que só visto. Quando é contrariado, parte logo para a briga. E não é só com a mamã e o papá. Há dias, quando umas crianças estiveram aqui em casa, ele andou batendo e mordendo os maiores porque os meninos não lhe davam os brinquedos. Ontem, num parquinho, chegou a empurrar uma menina para tomar-lhe um brinquedo. Fiquei mesmo preocupada e meio sem saber o que fazer. Afinal, como reagir diante desse comportamento ? Como fazer para educá-lo ?


Graças a Deus, o clima aqui em casa é de paz... e o Diego nunca viu uma briga ou discussão mais séria entre a mamã e o papá. Então, de onde viriam aquelas atitudes de morder e bater ? Seria da fase ? Seria da personalidade dele ? Foi para responder a essas perguntas que recorri à net; e encontrei respostas tranquilizadoras...  
 O título deste post peguei "emprestado" de um artigo do médico pediatra Ruy Pulpo Filho. Vejam o que ele escreveu sobre o tema:

"Muitas vezes a criança reage com um comportamento impróprio (batendo a cabeça na parede, vomitando, perdendo o fôlego, batendo no adulto, etc.). Uma vez garantida a saúde e a segurança da criança, este comportamento deve ser ignorado até que cesse. O adulto finge que está entretido com outra atividade, não demonstrando a menor atenção direta com o bebê. É claro que na verdade ele está acompanhando tudo, podendo intervir a qualquer momento em que a criança de fato necessite. É importante tentar economizar as negativas, às vezes melhor do que dizer “não” é desviar a atenção dela para outra atividade permitida".


Outras palavras sábias sobre o assunto foram da psicóloga Mirene F. M. A. Marques:

"O comportamento agressivo na criança é normal e deve ser vivenciado por ela. O grande problema é que ela não sabe como controlá-lo. Normalmente, acontece quando sente-se frustrada ou quando necessita mostrar aos pais que algo não vai bem. Muitas vezes a criança provoca um adulto para que ele possa intervir por ela e controle seu impulso agressivo, já que ela é pequena e não tem condições de fazer por sí própria. Por isso precisa de um "para com isso" ou "eu não quero que você faça". É como se ela pedisse para levar uma bronca. Nessa hora é como se o adulto emprestasse seu controle para a criança".


 
"Assim como os pais a ensinam andar, falar etc... também devem ensinar a criança a controlar sua agressividade e aprender a hora certa de colocá-la para fóra. O importante é que os pais tenham bom senso tomando cuidado para que ela não seja terrorista ou submissa, ou seja, nem permitir tudo para a criança e nem devolver a agressividade dela com outra agressividade".
 



Em outro artigo que me foi muito útil, li, pela primeira vez, um termo que achei super engraçado: "pitbebê"... O texto, vocês podem ler acessando o link abaixo:


E também vale a pena ler o que foi publicado em:

Bem, depois dessas rápidas leituras, pelo menos, fico mais tranquila em saber que a agressividade nessa fase infantil é muito mais instintiva do que um traço de personalidade. Ufa ! Já estava preocupada pensando que ia ter um "arruma confusão" dentro de casa...

segunda-feira, 23 de Agosto de 2010

Domingo na praia... sem sol, nem banho de mar !

Gente, ontem foi o "meu" dia... e escolhi um presente não só para mim, como também para o papá e, em especial, para o meu filhote. Fomos os três à praia... e para nós, ir à praia é literalmente uma viagem, pois infelizmente, estamos, no mínimo, a cerca de uma hora longe do mar. Queria "pegar" uma corzinha e brincar com o Diego na areia, mas tivemos pouca sorte: o domingo foi sem sol e com um ventinho pouco amigável para quem queria estar à beira mar...


Escolhemos ir para Vigo que fica no Norte de Espanha e a duas horas de carro da nossa casa... Apesar de nem parecer que estávamos no verão, para nossa surpresa, a praia estava lotada ! Foi um sufoco conseguir um lugar para estacionar o carro. Pelos vistos, por aqui, o povo não se intimida com o dia cinzento.


O meu filhote, mal viu o mar, deu sorrisos de alegria. Nunca pensei que ele gostasse tanto de praia. Essa foi a terceira vez que o levamos: a primeira foi no Brasil, quando ele tinha 4 meses. A segunda, foi no Algarve, com 1 ano. E a terceira foi ontem. O Diego estava numa felicidade só, andando na areia. E toda vez que o soltávamos, ele ia diretinho para o mar. Infelizmente não pudemos deixá-lo entrar, pois a água estava gelada ! Mas ainda havia quem se arricasse... Ui !!! Só de olhar dava-me arrepios...


Sem sol, nem banho de mar, a aniversariante divertiu-se foi com as brincadeiras e a felicidade do filho. O Dieguinho andou que se fartou na areia, ficou encantado com as gaivotas e voltou para casa exausto. 
Não temos mais previsão de ir à praia neste verão. Mas estou mortinha mesmo é para levar o meu filhote para curtir o sol e o mar na minha terrinha. Naquele calorzinho e naquelas águas morninhas é que ele vai se esbaldar e fazer muitos castelos na areia...  

quinta-feira, 19 de Agosto de 2010

Fim de tarde no parque

Agosto está chegando ao fim e o calorzinho também... E na contagem regressiva para o fim do verão, bateu um peso na consciência: não ter levado o Diego tantas vezes ao parquinho. Levei-o alguma vezes, mas gostava de tê-lo feito mais... e com certeza, ele também. Então, ontem apressei-me para dar esse presentinho ao meu filhote.


O link acima é de um post anterior onde mostrei o parquinho que fica aqui perto de casa. Naquele dia, estava quase vazio. Mas hoje para a alegria do meu pimpolho, tinha muita criança. E ele sabe bem quando vamos para lá. Quando chega a meio do caminho, começa a bater palminhas e sorri.
Ontem foi a primeira vez que ele foi ao parquinho depois que começou a andar sozinho. Nem sei quem estava mais feliz... se eu ou ele. Eu, por vê-lo a caminhar bem de um lado para o outro. Ele, por ter todo aquele espaço ao ar livre com outras crianças. E isso ele adora: estar rodeado de gente.


Eu que já o levo ao parque desde que ele era bem pequenino noto bem o quanto ele evoluiu. Aquele bebezinho, que ficava sentadinho só observando o movimento, já anda por todo lado e começa a aproveitar melhor os brinquedos. Sempre o motivei a experimentar um ou outro, mas o coitado ainda era muito pequenino para ver graça naquilo. Agora adora ir no escorrega. Ri-se de satisfação. Olha ele aí tentando subir sozinho !


Ele se divertiu imenso: andou que se cansou, brincou, interagiu com outras crianças... Chegou em casa exausto. Foi só praticamente comer e dormir.
E eu não posso falhar... Tenho que aproveitar o restinho de tempo bom que nos resta e encontrar nem que seja uns minutinhos por dia para levar o meu filhote ao parquinho antes do outono chegar...


quarta-feira, 18 de Agosto de 2010

O primeiro verão do resto da vida do meu filhote...

Bem, esse não é exatamente o primeiro verão do Diego, afinal, ano passado, ele já tinha nascido... mas ainda era tão bebezinho que mal se apercebia do mundo ao redor. Passados 365 dias, ele está um menino lindo, que já anda, interage imenso com tudo e com todos... e apronta muuuuuiiiiiitttoooo !
Mas voltando ao assunto do verão, o mês de agosto é o pico das férias por aqui. E como grande parte da família do papá mora fora, é nessas alturas que todos estão juntos.
E pela primeira vez, o meu filhote teve a oportunidade de brincar com os primos em segundo grau, ou seja, os filhos dos primos do papá... (o Diego ainda não tem primos diretos... é neto único, por parte da família do papá e da mamã)


A farra infantil começou no fim de semana passado quando eles se reencontraram depois de um ano. Gente, foi atração à primeira vista. Como criança gosta de criança, em poucos segundos estavam todos brincando e divertindo-se juntos: dois meninos (entre 4 e 6 anos), uma menina maiorzinha ( acho que com 7 anos) e o meu pimpolho de 1 aninho. O mais engraçado é como os grandes tinham paciência e uma alegria enorme de brincar com o meu pequeno. Andavam com ele de um lado para o outro, rolavam no chão, enfim... uma grande alegria !!!


Ontem, estiveram todos aqui em casa. Os adultos para jantar e os meninos para brincarem juntos. Mais um dia de brinquedoteca em ação. Com quatro crianças juntas, a área de lazer do Diego virou um caos. Para quem ainda não a conhece, basta dar uma olhadinha em...


Imaginem aquilo tudo pelos ares... literalmente !!! Controlar quatro crianças brincando não é tarefa fácil. De vez enquando, ouvia-se um choro daqui, uma reclamação dali... Pior mesmo era a disputa pelos benditos brinquedos. Tanta coisa, mas de repente cismavam de querer o mesmo...aí já viu, né ? Confusão na certa.


Eu até já andava reparando, mas só ontem confirmei minha suspeita: o Diego é um ciumento !!! No começo, andava sempre contente a brincar com os primos. Depois, ficava todo chateado e com raiva porque os meninos estavam mexendo no que era dele. Na verdade, aborrecia-se mais porque, às vezes, os maiores não lhe davam o que ele queria. E olha que não deixou barato, nem se intimidou por ser o menor na sala... Bateu num primo e chegou a morder outro. Imaginem só a fera que eu tenho em casa !!!


O clima não foi tão amigável como em encontros anteriores... mas no balanço geral, foi um convívio muito bom para eles... apesar dos momentos de choro e birras. Tanto que, na hora de dizer adeus, os primos queriam ficar mais... e o Diego fartou-se de chorar pelo povo ir embora. Aliás, ele agora está com essa mania: não suporta despedidas. Sempre chora quando vê a casa ficando vazia...
Sábado que vem tem mais aventuras com a garotada !!!

terça-feira, 17 de Agosto de 2010

Aprendendo com os erros

Meu filhote, de bobo, não tem nada ! Surpresa se eu disesse ao contrário, né ? rsrsrsrsrsrs... Mas quando falo isso é em relação ao quanto ele tem evoluído desde que passou a ser um descobridor de cada cantinho da casa... E o mais engraçado é que ele tem aprendido com os próprios erros.



O primeiro e mais clássico deles foi em relação à nossa cama. Tenho que dar a mão à palmatória e confessar um hábito não muito correto do meu filhote, culpa minha, claro ! Ele só dorme se a mamã for com ele para a cama e lhe der a maminha. É assim ainda hoje, mesmo ele tendo mais de um aninho. Bem, quando ele era muito pequenino, não se mexia, eu ficava tranquila. Mas à medida que ele foi crescendo, a preocupação aumentou: se acordasse, podia sair engatinhando e ir cama abaixo.


Mesmo com todo o nosso cuidado, isso acabou acontecendo duas vezes. Nem quero lembrar !!! Ele nunca se machucou, nem ficou com hematomas. Por isso, não foi nada sério. Mas essas dolorosas experiências acabaram por ensiná-lo a lição. Hoje se ele acorda, começa a chamar por mim. Infelizmente ainda não diz "mamã", mas lá dá o sinal de que já acordou. E agora, como está ficando cada vez mais sabidinho, começou a ensaiar descer da cama. Desce uma perna, depois outra e vai para o chão. Mas isso ele ainda não faz sozinho... Tem que ter sempre o papá ou a mamã por perto.


Outra evolução no aprendizado do Diego foi em relação às gavetas. Quando ele descobriu aquela brincadeira de abrir e fechar, e ainda por cima, tirar tudo o que estava dentro para fora, foi uma festa. Só que, geralmente, na hora de fechá-las, ele esquecia a mãozinha lá dentro. Era choro na certa ! Nunca se magoou a sério, mas também passou por essa má experiência. Resultado: hoje continua a divertir-se com as gavetas, mas esquecer as mãozinhas lá dentro, nunca mais...


 E, por fim, o abrir e fechar de portas... Foi outra brincadeira que o seduziu rápido. Mas na hora de fechá-las, levava tudo pela frente: pernas, pés... Essa ele também aprendeu rápido ! Agora quando a mamã diz: "Di, olha os pezinhos !" Ele já sabe... recua e fecha a porta sem se magoar.


É impressionante acompanhar a evolução diária do meu filhote. O Diego já começa a compreender muita coisa. Interage bastante conosco e isso nos deixa imensamente feliz e cheios de orgulho do nosso pimpolho. Nós achamos o máximo cada conquista mínima dele. Com certeza, a maternidade/paternidade nos faz apreciar essas coisas simples da vida.... 

segunda-feira, 16 de Agosto de 2010

Agora é oficial !!!!

Meu filhote está andando sozinho, gente !!!!
Também depois do fim de semana de treinos intensivos...rsrsrsrsrs...
O Diego já dava seus passinhos sozinho... mas eram poucos; logo se desequilibrava e caia. Mas, para a nossa alegria, ele evoluiu bastante nesses últimos dias. Agora já anda percursos maiores e está ficando bem esperto, o danadinho... se não, vejamos...


Quando começou a andar sozinho, ele só o fazia se estivesse de pé. Tentávamos equilibrá-lo, soltávamos as mãozinhas e lá ia ele...Agora não... O meu pimpolho já solta as nossas mãos para ir caminhar sem ajuda. E começou a fazer melhor... Põe-se de pé agarrado às paredes, depois solta as mãos e lá vai todo contente. Tão engraçado...

Outra evolução é que ele aprendeu a virar-se, estando de pé; e já não cai com tanta facilidade... Quando se apercebe que vai se desequilibrar, agacha-se e senta. Pois é... meu bebê está ficando um homenzinho... É claro que não está um expert na arte de andar... ainda parece um robozinho... mas deu passos melhores e importantes nesses últimos dias...


E se há uma coisa que ele não resiste são as escadas. Aliás, ele não pode ver um degrau ! Levanta logo a perninha para começar a subir e descer. Adora essa brincadeira. E quando o degrau é mais alto, dá logo as duas mãos para ter mais força e erguer o corpo.
 Nesses dias, pela primeira vez, coloquei-o de pé numa escada rolante. Ele ficou todo admirado com aquilo. Difícil foi tirá-lo de perto. Queria voltar a todo custo...


Nós, pais que amamos sê-lo, estamos super felizes com o progresso do nosso filhote. Passamos os últimos dias a dizer: "Dieguinho, anda ao papá"; "Dieguinho, anda à mamã"... E vou confessar... ele vinha mais vezes à mãe que ao pai...rsrsrsrsrsrsr...
O mais importante é que ele vinha sempre e todo contente.
Agora quando alguém me perguntar se o meu filhote já anda, posso responder toda orgulhosa com um SIM !
Um grande abraço a todos e uma semana iluminada !!!

quinta-feira, 12 de Agosto de 2010

O preço de um filho !

Gente, hoje vou compartilhar com vocês um texto lindo que a minha cunhada mandou... No meu mail, ele tinha uma bela apresentação em powerpoint. Mas como não consegui colocá-lo aqui da forma que recebi, tentei ilustrá-lo à minha maneira. As palavras "sábias" que se seguem são de Vera Lúcia Galafassi.  
***

Uma ONG calculou recentemente o preço para se criar um filho do seu nascimento aos 18 anos, e chegou a R$ 160.140,00 para uma família de classe média.
O valor é chocante! E este valor não cobre a formação escolar.
Mas R$ 160.140,00 não é tão ruim assim, se você parcelar.

Ele se traduz em:
- R$ 8.896,66 por ano
- R$ 741,38 por mês, ou
- R$ 171,08 por semana.
E meros R$ 24,24 por dia. Cerca de R$ 1,00 por hora.


O que você ganha gastando R$ 160.140,00?
- o direito de dar nomes.
- olhares de Deus todos os dias.
- risadinhas debaixo das cobertas todas as noites.
- mais amor do que seu coração pode suportar.
- beijos jogados no ar e abraços carinhosos.
- infinitas admirações por pedras, formigas, nuvens, biscoitos, cachorros, gatos, etc.
- uma mão para segurar, normalmente suja de geléia ou chocolates.
- um parceiro para fazer você rir como bobo, não importa que seu chefe tenha dito ou como as bolsas de valores se comportaram neste dia.


Por R$ 160.140,00 você não precisará crescer nunca.
Você deve:
- ter os dedos sujos de tinta,
- modelar objetos
- brincar de esconde-esconde
- ouvir músicas da Xuxa e
- nunca deixar de acreditar em Papai Noel.


Você terá uma desculpa para...
- continuar a ler as Aventuras do Ursinho Puff,
- assistir desenhos animados ao sábado pela manhã.
- assistir filmes da Disney, e
- fazer pedidos a estrelas.


Você recebe molduras de arco-íris, de corações ou flores sob ímãs de geladeira, conjunto de mãos impressas em argila para o Dia das Mães, e cartões com letras viradas ao contrário no Dia dos Pais.


Por R$ 160.140,00 não há outro jeito mais fácil de ficar famoso. Você é um herói apenas por...
- recuperar uma pipa do telhado da garagem,
- retirar as rodinhas da bicicleta,
- remover uma farpa do pé,
- encher uma piscina de plástico,
- fazer bola de chiclete sem estourar,
- ir a parques de diversões e voltar exausto...


Você tem lugar na primeira fila da “história” como testemunha...
- dos primeiros passos
- das primeiras palavras
- do primeiro sutiã
- do primeiro namoro
- da primeira vez atrás do volante de um carro.



Você fica imortal
Você tem um novo braço na sua árvore genealógica e, se tiver sorte, uma longa lista de membros no seu obituário, chamados netos e bisnetos.
Você recebe formação em psicologia, enfermagem, justiça criminal, comunicação e sexualidade humana que nenhuma faculdade pode lhe dar.
Aos olhos de uma criança você se localiza logo abaixo de Deus.


Por R$ 160.140,00
Você tem poder para curar um choro, espantar os monstros que estão debaixo da cama, remendar um coração partido, policiar uma festa sonolenta, cultivá-los sempre e amá-los sem limites.


E assim, algum dia,
Eles, como você,
Amarão sem medir os custos.
É um excelente negócio por esse preço!
Ame e curta seus filhos, netos e bisnetos!
É o melhor investimento que você fará na sua vida.


***

E é com essa mensagem que encerro a semana... Dessa vez, o nosso fim de semana começa mais cedo: hoje !! Segunda-feira estamos de volta. Um dia iluminado a todos !

terça-feira, 10 de Agosto de 2010

A Brinquedoteca em ação !!!

Bem, não foi beeeeemmmm assim... Afinal, não vou falar de nenhum desenho animado ou filme infantil onde os brinquedos ganham vida e saem andando pela casa... Ontem, o Diego teve companhia para deixar o nosso ap de pernas para o ar...
Vieram nos fazer uma visitinha os padrinhos do meu pimpolho, e com eles, os dois filhotes: uma princesa linda que tem 3 anos e um menino sapeca que tem exatamente um aninho como o meu.
Meu povo, pensem numa confusa !!!! Se o Diego sozinho deixa um "rastro de destruição" por onde passa, imagina na companhia de outras duas crianças...


Os filhos dos nossos compadres e o Diego já se conhecem bem; estão todas as semanas juntos. Mas ontem, na brinquedoteca aqui de casa, confesso que foi complicado "administrá-los". Eu já mostrei aqui no blog a área de lazer do meu filhote. Para quem não viu ou quer recordar, aí vai o link...


Em poucos segundos, estava tudo pelos ares ! Carros, bolas, peças de montar... não ficou uma só coisa no lugar. Impressionante ! E como se não bastasse tentar conter a bagunça, pior mesmo era controlar o ânimo e o ego dos pequenos. No começo, foi só festa. Eles se espalharam no meio daquilo tudo e vibraram de excitação. Depois, parecia que só o brinquedo do outro era melhor. Valha-me Deus ! Com tanta coisa espalhada pelo chão, de repente, estavam todos a disputar pelo mesmo. Aí já viu, né ? Confusão na certa !


Não demorou muito para ouvir um início de choro daqui, um berro dali. Ai, ai... Depois, um batia no outro, ou empurava ou se estressava. Nada de grave ! Era mesmo disputa por espaço e pelos benditos brinquedos. O pior era entre os manos, pois se a coisa esquentava, ambos corriam para o colo da mamã... e a minha comadre, coitada ! Tinha que ter braços e colo para os dois ao mesmo tempo !



Por um momento, lembrei de quem tem três, quatro filhos. E antigamente que eram aos montes: sete, oito... dez !!! Abençoadas mulheres... não devia ser nada fácil.  Não pude esquecer também das mães que têm filhos gêmeos: duas, três, quatro crianças da mesma idade dentro de casa deve ser um caos !!!! É nessas horas que penso que o Diego vai ser filho único...rsrsrsrsrs !


Mas apesar de toda a confusão e das birras de um ou de outro, o balanço foi super positivo ! O importante é que a criançada se divertiu e nós, mamãs, estivemos lá um bom tempo a brincar com eles. Eu adorei ! E o Dieguinho também ! Aliás, ele adora quando temos pessoas em casa, em especial que brinquem com ele, né ?? Não vai demorar para repetirmos a dose...